3 de out de 2010

O dia do parto - nascimento do Pedro.

Oi Amigas, hoje tenho um momento muito especial para compartilhar com vocês: o parto do Pedro.
Relendo algumas páginas do meu diário de 2008, encontrei a página em que relatei o nascimento dele.
Foi um dia de muita emoção!
O Pedro nasceu, era 10h21 da manhã de um sábado, dia 30 de Agosto de 2010, foi um dia maravilhoso, um dos melhores da minha vida e decidi compartilhar com vocês esse momento, copiando algumas partes do que havia escrito:

"Hoje foi um dia muito emocionante, logo cedo acordei, tomamos café eu, meu Pai, a Anginha e o LC. Logo depois saímos de casa e viemos para o hospital Santa Clara. Como o parto do Pedro já estava programado, estava marcado para eu chegar 9h da manhã.
Chegamos lá minha Mãe estava me esperando. Logo chegaram a Dona Cida, Sr. Virgilino (meus sogros) e a Vriginia (minha cunhada). Quando eu percebi o hospital estava cheio de gente aguardando o nascimento do Pedro.

Senti envolvida por um amor enorme, em especial do Luiz Cláudio, que apesar de muito nervoso esteve me tranquilizando o tempo todo. Dá um certo medo, que acho normal, mas Deus colocou no meu coração aquela música: "O Senhor que me chama, pelo nome, Ele quer me pegar pelas mãos e me levar para suas recamaras... Não temerei, Ele já me separou, me chama pelo nome. Ele é o Senhor que está comigo, não me deixa só." 
Senti um cuidado enorme de Deus e fiquei em paz. 

Já na sala de preparação cirurgica fiquei pensando na minha Mãe, no que ela passou para me ter, nas coisas que ela havia me contado sobre o dia do meu nascimento, que ela tinha ído sozinha de ônibus para o hospital junto com a minha malinha. Pensando no que ela passou alí, sozinha pra me ter, jovem, sem nínguem presente para apará-la, apenas com as orações da minha Avó, que por ser paralítica não pode ir junto. Pensar nisso mexeu muito comigo, me fez chorar e agradecer à Deus por esse cuidado que Ele sempre teve comigo, Ele nunca me deixou sozinha.
Alí nessa sala eu ajoelhei e pedi que Deus estivesse mais uma vez comigo e que protegesse a mim e meu filho. Estava com medo.

Chegou o grande momento, fui levada para a sala de cirurgia e iniciou a preparação. Liga aparelhos daqui, dalí, monitoramento, pega veia e finalmente a anestesia.
Esse é o pior momento de todos, você precisa ficar na posição fetal para receber a peridural, e isso dá um pouco de desconforto na barriga, mas não é dor, é medo mesmo. Mas o anestesista - Dr. Pil, me deixou muito tranquila, foi muito carinhoso e deu tudo certo, logo eu já não sentia as minhas pernas e estava pronta para ter o melhor encontro da minha vida: conhecer o Pedro.
Depois disso, o LC entra na sala, ele estava tão ressabiado e eu perguntava dele o tempo todo.

E começou a cesária, em poucos minutos, senti muita força na minha barriga por conta dos médicos estarem empurrando-a para baixo...nenhuma dor, só forçando mesmo. Daí, veio o melhor momento da minha vida: escutei um choro, um choro lindo, cheio de vida e a Dra. Gisele me mostra ele. Lindo!!! Todo suginho de sangue, placenta.
Eu chorei mutio, de soluçar, só agradecia a Deus, repetia várias vezes: Glória à Deus! Eles colocaram ele um pouquinho em mim dei um beijo e eu nunca vou esquecer do cheiro dele naquele dia. É um instinto bem animal, a gente dá vontade de limpar eles, que nem bicho.

O Pediatra, Dr. Alessandro Lemos, levou o Pedro para os procedimentos e logo a Dra. Gisele volta com ele e coloca nos meus braços e já coloca ele pra mamar em mim. É tudo muito rápido e ele pegou o meu peito e na sala de cirurgia mesmo começou a mamar.
Que sensação maravilhosa, de dar amor, de proteger. Deus cumprindo os planos que Ele havia me prometido: Ser mãe.


Após os procedimentos cirurgicos, que demoram mais tempo que o próprio parto, eles me levaram para o quarto. Eu estava louca para reencontrar o Pedro. No corredor, ainda de maca, encontrei todos me aguardando para cumprimentar, todos enfóricos me dizendo que o Pedro era muito lindo. E eu dizendo que era bom demais ter um filho, que queria ter mais uns três.

Cheguei no quarto já morrendo de saudades dele. Estava cortada, anestesiada, mas sem dor nenhuma, só conseguia pensar no Pedro, na vontade de pegá-lo. E logo ele chegou no quarto, todo bonitinho de roupinha amarela de bolinhas coloridas, lindo demais.

Coloquei ele no colo e comecei a amamentá-lo. Eu não sabia se teria leite, como seria amamentar, mas ele sabia tudo, fez todo trabalho sozinho, achou o meu peito e começou a sugar verozmente.
Muito tranquilinho, depois de mamar ele dormiu...

Os momentos que seguiram deram ínicio a uma linda estória de amor em família, uma nova família que se completava: Luiz Cláudio, Meyriele e Pedro. Juntos para sempre!




"Meu filho amado, eu te amo desde o dia que você era menor que um feijãozinho e esse amor foi crescendo, crescendo e crescendo junto com você dentro de mim. Hoje foi o dia que Deus escolheu para você vir ao mundo, e será sempre inesquecível pra mim. Que Deus te abençoe todos os dias. De agora pra frente estaremos sempre juntos."

Com amor, Mamãe.

6 comentários:

Larissa disse...

Oi Mey... super emocionante! E o melhor de tudo é que me tranquilizou um pouquinho... rs... ando super nervosa com o momento do parto, sei que dará tudo certo, que Deus estará conosco olhando e iluminando, mas sempre tive receio de hospital, sangue, anestesia, agulha... enfim... É até assunto para um posterior post... rs
Bom fim de findi!!!
Fiquem com Deus...

Cele disse...

Olha só Mey!!!Esse post näo vale näo!!!Ei tô chorando aqui!!!Nesse näo volto denovo näo ahahahah é muita emocäo!!!!aff!!!!Cadê o ar???!!!uhuhuh e vc descrevendo, só lembrei do meu parto...Deus te abencoe mais ainda e sua família linda!Como vc disse: "Deus näo deixa nenhuma promessa sem cumprir", eu creio tb!Meu parto e pós-parto foram difíceis uma série de fatores: o hospital que escolhi tinha poucas ginecologistas e eu näo sabia disso, aqui na Alemanha algumas MUITAS mulheres tem as mäos täo pesadas como homens bracais e eu nunca imaginei que essas mesmas mäos tocariam na minha filha recém nascida. Isso ainda é uma ferida dentro de mim que cura aos poucos...um dia tomo coragem e descrevo meu pós parto que foi mais difícil que meu parto. Enfim, o que importa é que deps do sofrimento vem as dóceis Mäos de Deus e tudo compensa na nossa vida. Tenho hoje uma filha cheia de saúde que aos 7 meses se pöe de pé e engatinha igual uma formiguinha atômica pela casa...O momento do parto marca pra sempre o coracäo de uma mäe, só quem já passou sabe!Lindos seus semblantes, seu e do seu marido. Deus os cuide sempre!E seu filhäo lindäo fortäo tb!!!Bjs, vou enchugar a gotinhas de emocäo no meu rosto ahahahah:0)

Shilola disse...

LIndo!
Parabéns Mey, mamãezona! :D
Bjocas,
Carol

Gabizinha disse...

Mey, que lindo!!! Fiquei muito emocionada e feliz por participar de alguma forma deste momento tão importante na sua vida e de sua família.
Na verdade, vc sempre foi pra mim um exemplo de força, determinação, coragem e gratidão.
Te amo, amiga! E obrigada por existir.
Beijos, Gabi.

Adriana disse...

Olá Mey! meu nome é Adriana, moro em Santa Catarina, encontrei o teu Blog e AMEI! Tb sou mãe de primeira viagem de um Pedro (Pedro Henrique) que está com 2 meses. É muito legal poder acompanhar as tuas experiências e aprender com elas, e ao mesmo tempo me reconhecer em muitas postagens tuas de qdo o teu Pedro era bebezinho como o meu. Parabéns pelo teu Blog e pela tua família que com certeza é muito especial. Assim como vc, estou amando ser mãe e apesar de pouco tempo, já me sinto uma pessoa transformada e muito melhor ! Um grande abraço!

Michele disse...

Estou de 37 semanas,e ansiosa demais pela chegada do meu Vinícius. De uns dias para cá estava me sentindo angustiada e distante de Deus, mas felizmente após conversar com uma prima muito querida, senti-me forte novamente e sei que o Senhor está comigo. Suas palavras me tocaram muito, confesso que derramei umas lagriminhas. Parabéns à você pela excelente mãe que és. Abraços!