23 de out de 2010

Tirar a fralda - praticando...


Oi Amigas!!!
Tenho uma novidade pra compartilhar com vocês, já tem cinco dias que o Pedro está passando o dia sem fraldas, só de cuequinhas.
Confesso que não está sendo nadinha fácil e que como eu comentei nos posts anteriores exige muita paciência e leva bastante tempo. Nada de ansiedade nesse momento.

Começamos o processo na última segunda, cada dia tem sido uma batalha. Nos primeiros dias o Pedro se negava a fazer xixi em qualquer lugar que fosse, tentamos no vaso com o adaptador de bichinhos, na plantinha, na grama e ufaaaa, que dificuldade! Ele só fazia na calça e chorava quando fazia. Depois ele começou a fazer na graminha, mas ainda se recusa a fazer quando chamamos e tem feito ainda na calça.

Tenho aplicado uma série de brincadeiras em torno do xixi: levamos o ursinho pra fazer xixi, deixo ele dar a descarga, comemoramos quando ele faz xixi no lugar certo, mas ele ainda está aprendendo. 

O que tem me preocupado é que nos últimos dias ele tem prendido o xixi, daí quando eu vejo que ele está segurando e não consigo que ele faça de jeito nenhum, eu o levo para o chuveiro pra tomar banho, lá ele faz. É a única alternativa.

Enfim, tem sido luta em cima de luta, mas o Pedro é muito inteligente e sei que vamos encontrar um meio dele aprender isso, pode levar tempo, mas sei que ele vai conseguir naturalmente.

Vou contando pra vocês os avanços dessa nossa nova fase.
Torçam por nós!

beijos, Mey

22 de out de 2010

Todos os dias são feitos de pequenos milagres

Olá Amigas,
acho que vocês perceberam o quanto fiquei tocada com a estória do Theo, a luta desse bebê, ainda tão pequenininho, pela vida. O amor e a fé de uma mãe que não tem limite.

Enfim, mexeu bastante comigo, com o meu momento de vida.
As vezes as gente vive numa correria sem fim e não dá tempo de prestar atenção nos mínimos detalhes, nos pequenos milagres. Você já parou para refletir o quanto nossa vida é feita de pequenos milagres? Coisas pequenas, mas que tem tanta importância.

Tem momentos que são únicos e que precisam ser vividos, presentinhos de Deus que as vezes as gente não aproveita integralmente e eu estou mais atenta a isso, repensando o valor das coisas, desligando mais meu celular, dedicando menos tempos em turs virtuais e mais tempo nas relações que realmente fazem sentindo e são verdadeiras, voltando ao simples, me afastando dos convenientes, das amizades condicionadas, dedicando bem mais tempo para ficar grudadinha com o Pedro, com o LC, tentando equilibar mais meus momentos entre o trabalho e vida pessoal.
É verdade que muitas vezes me sinto igual a um "joão bobo", em que meus braços estão servindo de cabo de guerra, cada um puxando de um lado (trabalho x família). Mas também é fato que a vida é essa mesmo, que é feita de escolhas e que temos que dosar a importância que damos a tudo e todos. Eu sei muito bem o que é importante pra mim e quero investir meu tempo nisso: Deus, meu filho e marido, meus familhares, amizades verdadeiras, momentos de comunhão.

Quero contar que por um milagre de Deus a cirurgia do Theo, filhinho da nossa amiga blogueira Aline Bretas, foi um sucesso, que ele está bem e que por obra de Deus está sendo curado. Que a Aline ainda viverá muitas alegrias com ele, como tem vivido todo esse tempo. Deus é fiel, e sua fidelidade e amor duram para sempre.

Um beijo amigas, tenham uma boa sexta-feira, dando valor a cada minutinho da vida de vocês com sua família.
com carinho, Mey

20 de out de 2010

Oração de uma mãe pela cura do filho

Olá Amigas,
contei pra vocês no último post sobre a estória de uma Mãe que busca em oração a cura do seu bebê.
A cirurgia do Theo da nossa amiga blogueira Aline Bretas do http://vivoesinto.blogspot.com/ está sendo hoje e cremos que Deus está no controle, porque Ele tem poder de cura, de milagres e maravilhas.
Sabemos que a vida desse bebê querido e vitorioso está nas Suas mãos Meu Senhor.

Quero convocar vocês para tirar um tempinho hoje para orar em ação de graças pela cura que o Theo está tendo. Vamos fazer a mesma oração que a Aline fez. O poder da nossa oração seá tremendo.

"Senhor Deus e Pai.

Theo está nas tuas mãos! Sei que és Fiel e Tu não falhas nunca!
Obrigada por todas as bênçãos que o Senhor me concedeu durante esta batalha!
Obrigada por me provar, por me ensinar tanto neste tempo. Obrigada por me sustentar, por estar sempre ao meu lado me enchendo de forças. Obrigada por me dar o prazer de estar mais perto de Ti!
Senhor, que tu estejas naquele centro cirúrgico, derrame seu poder lá! Coloque Teus anjos ao lado do Theo, dando sonhos bons a ele! Tira toda dor e todo desconforto do Theo! Que ele não se lembre de nada e continue sempre sorrindo!
Deus meu, opere o Theo através das mãos dos médicos, pois o Senhor é o Médico dos Médicos! Opera um milagre! Que aquele tumor saia por completo, sem deixar resquícios, sem deixar sequelas! Que Theo saia daquele centro cirúrgico enxergando perfeitamente, com o apetite normal, sem vômitos nem náuseas! Que Theo cresça um menino perfeito e saudável, que ele rode todo o mundo testemunhando o grande milagre que o Senhor fez na vida dele! Que muitos que não crêem em Ti possam se render aos Teus pés através da vida do Theo.
Senhor! Que os médicos se surpreendam! Que a recuperação do Theo ultrapasse todas as expectativas e que em 7 dias ele esteja ótimo conosco aqui em casa! No Nome de Jesus! Que os médicos não entendam e tenham certeza que houve ali um Milagre vindo do Senhor!
Pai, te peço que Theo não perca muito sangue, que NÃO haja nenhuma intercorrência e a cirurgia seja um SUCESSO e acabe antes do tempo estimado!
Encha o meu coração e do papai de PAZ como já fez hoje! Nos mantenha assim tranquilos como estamos agora amanhã!
Já Te louvo e glorifico pelas bênçãos que ainda virão! Pela vida do Theo, pelo grande milagre que irás fazer!
Glórias sejam dadas SOMENTE a Ti Jesus!
Obrigada!!!! Em Nome de Jesus AMÉM!!!"


Aline Bretas, mãe do Theo

19 de out de 2010

O amor de uma mãe pode ser sem limite. Não duvidem!

Olá amigas!
Estou profundamente comovida com o poder do amor, pela força que uma mãe pode ter por meio do seu amor e fé em Deus.
Navegando na internet, Deus me presenteou com o blog http://vivoesinto.blogspot.com/ da Aline Bretas, mãe do Theodoro.
Logo me interessei pelas palavras de fé que ela usa, por sua força e fui ficando estigada por conhecer aquela mãe que crê contra tudo e todos no poder de Deus. Tão maravilhoso ler cada estória dela, cada desafio rompido, a força que ela tem tido com a situação do seu filho.

Confesso que chorei muito. Não de dó, pena, ou qualquer sentimento nesse sentido, mas de admiração e até mesmo um pouco de vergonha das vezes que reclamo de coisas tão inferiores na minha vida. As vezes que estou cansada demais porque o Pedro não dormiu, quando fico nervosa porque ele não quer comer, ou porque está custosinho demais. Vejo que Deus permite alguns testemunhos para nos lembrar que Ele é Deus e que Ele pode tudo e não nós. Que na alegria e na tristeza só existe um caminho: a sua misericória, o seu amor.

Meu Deus, como podemos ser ingratos diante da sua graça? Aprendi uma coisa com a Aline, uma palavra que conhecia muito tempo porque é bíblica: "em tudo daí graças". A situação dela ver o filho doente, passando por cirurgias, não faz com que ela seja uma mulher de lamúrias, sem fé. Muito pelo contrário, fortalece o amor que ela sente pelo o filho e a fé que ela tem na sua cura.
Hoje quero pedir aqui que vocês todas orem pelo Theo. Uma corrente de mães unidas pelo o amor, que crêem no poder soberano de Deus para mudar qualquer diagnóstico, para cumprir os planos Dele.
Que a gente ore por ele e que refletimos em nossas vidas, na forma que temos vivido, na importância que temos dado as pequenas coisas. Que aprendamos, com o exemplo da Aline, como ser uma mãe em graça pelo o amor e misericórdia de Deus, firmes porque sabe que Ele a conduz.

Muita força Aline, nossas orações estarão direcionadas para vocês.

Mey

P.S.: o email da Aline é xlillies@gmail.com, quem quiser ajudá-la pode entrar em contato por esse e-mail.

"Em todo tempo eu louvarei ao Senhor, sempre estará nos meus lábios o Teu Louvor. Minha alma se regizija no Senhor!"

18 de out de 2010

De tanto brincar o Pedro não queria ir embora

Foi hilário hoje. Fui com o Pedro na casa da minha amiga Carol, do FalaMamãe.
Super legal ver o Pedro e o Paulo Neto se acabando de brincar, super estusiasmados e eu e a Carol podendo conversar bastante, sem a pressa do telefone e a linha caindo (né amiga?).
É tão bom estar com essa minha amiga, a gente vai de A a Z nas conversas, e temos muita afinidade. É isso que fortalece as amizades, os mesmos valores, as mesmas crenças e muita vontade de estar junto.

Dessa vez notei que os meninos estavam bem mais calmos e maduros que na última vez que fomos lá. O Paulo Neto está mais solto, mais carismático ainda. O Pedro mais enturmado com as brincadeiras e mais livre pra brincar também. A brincadeira rolou solta, eles se esbaldaram de brincar no quarto novo de brinquedos do Paulo Neto, quando deu a hora de ir embora (já era quase 22h30) o Pedro não queria ir embora, foi aquele show, porque queria brincar mais. Foi um custo.

Cá, adorei estar aí com vocês Amiga. Amei as nossas conversas, sempre é muito agradável, sua amizade é muito importante.  E o Pedro nem preciso dizer, você percebeu que ele amou a casa da Tia Carol. bjos!

Deus abençoe vocês! Abraço pra todo mundo, para todas as minhas amigas de verdade.
Agradeço à Deus por vocês existirem na minha vida. Nesse mundo de tanto interesse, conveniência, competição, vale a pena acreditar na amizade, vale a pena por vocês.

Mey

17 de out de 2010

Horário de verão e o sono das nossas crianças


Olá Meninas!
Hoje começou o horário de verão, tempo de adiantar os relógios e mexer uma hora na rotina de nossos filhos. Aqui em casa por ser domingo foi mais difícil ainda.
Domingo é dia que almoçamos mais tarde um pouquinho, ficamos na minha sogra um bom tempo e acaba mexendo muito com a rotina do Pedro. Ele fica mais agitado, não quer comer direito, não tira a soneca da tarde como faz todos os dias e só quer brincar, brincar. É uma peleja que normalmente não acontece no meio de semana.

Para completar veio o horário de verão, adivinha? São quase meia noite e agora que ele foi dormir, estava naquela pilha, engraçadinho, risonho e pulando na cama. E eu e o Pai dele mortos um para cada lado, já perdendo a paciência. Fala em dormir ele vinha: "-Dormir nãooooooooooooo!"

O horário de verão atrasa tudo aqui em casa em mais de 2, 3 horas.
Mas não são apenas uma hora de diferença?
São sim. Mas o que acontece é que o sol também vai dormir mais tarde, com isso o Pedro fica mais agitado, brinca mais e demora para desacelerar.

Hoje foi só o primeiro dia, tem que ter paciência, não são nos primeiros dias que eles se acostumam, é gradual, é uma adaptação que pode durar até uma semana. E tudo depende muito de cada criança, existem crianças com hábitos matutinos, que acordam e dormem cedo - caso do Pedro, e outras com modos vespertinos, que acordam e dormem mais tarde - as vespertinas costumam ter mais problemas durante a transição para o horário de verão.

Dicas:
  • No caso do sono é inútil impor a nova rotina de uma vez, já que o organismo da criança não vai aceitar.
  • A idéia é começar o ritual para dormir antes do que o comum. Se a criança dorme normalmente em 30 minutos, ela vai demorar mais enquanto se acostuma com o novo horário.
  • Banhos quentes e massagens ajudam os pequenos a relaxar.
  • Músicas calmas também.
  • É importante evitar alimentos pesados e estimulantes antes da hora de dormir, além de não incitar atividades físicas nem brincadeiras agitadas nesse período. Melhor escolher ler livros, escutar músiquinhas calmas ou de ninar e ir acalmando a criança desde cedo, por volta de 20h todas os tipos de brincadeiras tem que mudar, a inicialização do sono já deve começar.
Hoje aqui em casa não deu certo, mas amanhã é segunda-feira e a aqui em casa no meio de semana a rotina reina, tenho fé que tudo será mais fácil na área do sono. Terei paciência! Tenham também.

O horário de verão dura até 20 de Fevereiro 2011, portanto não tem remédio, vamos tirar dele o melhor que pudermos. Eu não reclamo, sou uma pessoa do dia, quando mais longo melhor. É bom poder chegar em casa com o sol raiando, poder brincar mais no parquinho, na praça, na piscina com o Pedro, visitar mais as pessoas queridas, ter mais contato com a natureza.

FELIZ HORÁRIO DE VERÃO PRA VOCÊS!

beijos Mey.

14 de out de 2010

bbpontocom: mais de 100 seguidores e 900 visitas por dia!

Hoje estou aqui para agradecer, para comemorar!
O nosso blog chegou a 103 seguidores e uma média de mais de 900 visitas por dia.
Não é maravilhoso?
É tão gratificante pra mim saber que de alguma forma estou colaborando com a vida de outras mães, aprendendo com as suas experiência, estou participando das suas vidas e deixando-as participar do meu mundo.
Quando vejo os comentários que recebo, pedidos de ajuda, sugestões para o blog, conselhos, vale tanto a pena. Vale cada minutinho que dedico.
Esse blog é um lugarzinho muito especial pra mim, onde eu vivo meus sonhos, onde coleciono e compartilho as bençãos que Deus tem me dado.

Muito obrigada pela presença, pela confiança Amigas! Isso me deixa muito feliz!

Se você ainda não segue o bbpontocom.blogspot.com, siga agora mesmo. Basta ir na barra ao lado direito desse blog e clicar em SEGUIR. Ficarei muito feliz!

Ah, e se você também deseja medir sua audiência, faça sua conta no google analitics que você terá visualização de vários relatórios de visitas, origens e etc. Vale a pena!

beijinhos, e muito obrigada!
Mey

12 de out de 2010

Todo dia é "Dia das Crianças".


Oi gente!!! Feliz Dia das Crianças.
Estou passando rapidinho para dizer que esse dia está se acabando, mas que todo dia é "Dia das Crianças". Dia de curtir bem juntinhos com nossos filhos todas aquelas brincadeiras de gostamos e não nos esquecermos que todos nós temos uma criança guardadinha em nossa essência. Basta liberá-la! Ser Mãe e/ou Pai é uma ótima oportunidade para isso.

beijos, Mey

P.S.: inspirada pelo FalaMamãe montei essa foto. Adorei o resultado, mostra que em alguns detalhes o Pedro lembra a criança que fui.
Que bom reviver isso! Meu filho me faz ser criança novamente, visitar a menininha bagunceira que fui.


9 de out de 2010

Os cheirinhos do Pedro

As vezes fico olhando para o Pedro, decorando cada detalhe do seu rostinho, observando seus contornos, aquela boquinha desenhadinha, os olhinhos alegres, vibrantes. 
Esse narizinho pequeno, que serve para cheirar a gente. As vezes chegamos em casa e ele fica tão feliz que corre para dar cheirinho na gente, e fica aquele narizinho gelado, dando aqueles cheirinhos mais gostosos, revesando entre o papai e a mamãe.
É tão gostoso! É tão nosso!

Não consigo imaginar a minha vida sem isso, sem ele, sem esse novo sentido do amor.
Já disse e repito: a minha vida tem mais sabor, mais cheiro, mais leveza e mais cor agora que sou mãe do Pedro. É muito bom!

Obrigada meu Deus! Sua graça me basta.


Cheiro pra todo mundo também.
Bom fim de semana, bom feriadão!

Mey

7 de out de 2010

Ser mãe é a segunda chance de ser criança

Oi Meninas!
Estava aqui pensando, quando a gente se torna mãe voltamos a ser criança novamente.
Eu trabalho o dia todo, aquela pauleira sem fim, quando chego em casa renovo todas as minhas energias com as brincadeiras com o Pedro. Confesso a vocês que chego morta em casa, a cabeça fervendo, muitas vezes venho voando, porque saio tarde e chego em casa naquela adrenalina.

Daí vem o Pedro com aquela felicidade toda me encontrar na porta: "-Mamãeeeee!!!"
E começa a diversão, assistimos DVD's dos filminhos dele, os preferidos são: Parangolé, Galinha Pintadinha 1 e 2, Baby Einsten, Cocoricó, Barney, Xuxa e outros.
Cantamos as músicas, dançamos, pulamos, é uma farra só. Ele ama isso! Pega fogo comigo.
Nem eu sei onde encontro energia, ou sei, nele é claro. Ele me revitaliza. Esqueço tudo que passei naquele dia e abro asas para o meu lado criança.

Quando ele enjoa disso tudo ele pede para ir para o "quartinho".
Lá a imaginação rola solta, lemos os livrinhos, mostamos blocos, brincamos de carrinho, entro na toca de bolinhas com ele, jogamos bola e ele ama ficar tirando todos os brinquedos do baú e dizer: "-Achei!!"
Ele é elétrico como eu e por isso quer brincar com tudo ao mesmo tempo. É muito animado ver essa agitação dele.


Sem contar com as brincadeiras que ele inventa, nas brincadeiras de Doutor, eu sou sempre a sua paciente.

Brincando de Doutor: "-Onde doí?"
"Aqui Doutor, dá beijinho para sarar."
E ele dá beijinho.
É uma delícia esse meu filho!

"Obrigada meu lindinho por me dar tanto carinho, por ter paciência comigo, por me amar de forma tão gratuíta. Obrigada Deus por idém, por ter carinho, por ter paciência, por me amar mediante sua graça e principalmente por me dar esse presente maravilhoso de ser Mãe do Pedro, de poder voltar a ser criança novamente."

5 de out de 2010

Meu "amigãozão"

Nada melhor nesse mundo que ter amigos.

Já estamos chegando próximo ao dia das crianças e quero começar a celebrar essa data tão alegre falando da amizade entre as crianças. E em matéria de amizade, eu tenho presenciado uma muito lindinha, que apesar de tão pequeninhos já dão um baile na gente de tanto que são amigos e fiéis.
Estou falando da amizade do Pedro com o Mateus.

Mateus e Pedro - momento carinho
Esses dias o Mateus caiu e chorou, fiquei observando a cara de sofrimento do Pedro ao ver o amigo chorando. Depois disso, ele passou o dia seguinte contando pra todo mundo que o Mateus machucou e fazia aquela cara sofrida ao contar.
Tem um monte de coisinhas bonitinhas do dois pra contar.

Ontem eu falei para o Pedro que tinhamos que colocar a roupa para ir ver o Mateus. Se falar isso aqui em casa o Pedro faz qualquer coisa, veste a roupa rápido sem reclamar, calça o sapato e faz tudo pra ver o amigo. Daí eu apressada para sair, estava procurando o bico dele e falei: "-Cadê o bico Pedro?" e ele disse: "-Bico não Mamãe, ver o Mateus." 
Bico aqui em casa é para dormir, na hora que eu perguntei do bico ele achou que eu ia colocar ele pra dormir e que ele não veria o Mateus.

Um coisa bem lindinha que anda acontecendo é que o Pedro fica sempre repetindo: Mateus, amigo! Ver o Mateus...Tão fofinho! Tão bonitinho!
A amizade deles é um presente. Eles brincam, eles brigam de vez em quando, mas a amizade é assim mesmo, saber entender e respeitar as diferenças. Acho muito lindo esses dois tão pequenininhos assim e tão amiguinhos.



Olha a cara de sapeca desses dois.

" - Vem cá Pedro, vamos combinar uma coisa aqui."
 
Bate a mãoooo... bate o pé!

"- Heeeee viva a nossa amizade!"

"- É muito bom poder brincar juntos."

" -Desde bem pequenininhos já somos unidos pela a amizade."
 Desejo que essa amizade cresça cada vez mais, que Deus abençoe muito essas duas figurinhas que eu amo demais.

beijos, Mey.

3 de out de 2010

O dia do parto - nascimento do Pedro.

Oi Amigas, hoje tenho um momento muito especial para compartilhar com vocês: o parto do Pedro.
Relendo algumas páginas do meu diário de 2008, encontrei a página em que relatei o nascimento dele.
Foi um dia de muita emoção!
O Pedro nasceu, era 10h21 da manhã de um sábado, dia 30 de Agosto de 2010, foi um dia maravilhoso, um dos melhores da minha vida e decidi compartilhar com vocês esse momento, copiando algumas partes do que havia escrito:

"Hoje foi um dia muito emocionante, logo cedo acordei, tomamos café eu, meu Pai, a Anginha e o LC. Logo depois saímos de casa e viemos para o hospital Santa Clara. Como o parto do Pedro já estava programado, estava marcado para eu chegar 9h da manhã.
Chegamos lá minha Mãe estava me esperando. Logo chegaram a Dona Cida, Sr. Virgilino (meus sogros) e a Vriginia (minha cunhada). Quando eu percebi o hospital estava cheio de gente aguardando o nascimento do Pedro.

Senti envolvida por um amor enorme, em especial do Luiz Cláudio, que apesar de muito nervoso esteve me tranquilizando o tempo todo. Dá um certo medo, que acho normal, mas Deus colocou no meu coração aquela música: "O Senhor que me chama, pelo nome, Ele quer me pegar pelas mãos e me levar para suas recamaras... Não temerei, Ele já me separou, me chama pelo nome. Ele é o Senhor que está comigo, não me deixa só." 
Senti um cuidado enorme de Deus e fiquei em paz. 

Já na sala de preparação cirurgica fiquei pensando na minha Mãe, no que ela passou para me ter, nas coisas que ela havia me contado sobre o dia do meu nascimento, que ela tinha ído sozinha de ônibus para o hospital junto com a minha malinha. Pensando no que ela passou alí, sozinha pra me ter, jovem, sem nínguem presente para apará-la, apenas com as orações da minha Avó, que por ser paralítica não pode ir junto. Pensar nisso mexeu muito comigo, me fez chorar e agradecer à Deus por esse cuidado que Ele sempre teve comigo, Ele nunca me deixou sozinha.
Alí nessa sala eu ajoelhei e pedi que Deus estivesse mais uma vez comigo e que protegesse a mim e meu filho. Estava com medo.

Chegou o grande momento, fui levada para a sala de cirurgia e iniciou a preparação. Liga aparelhos daqui, dalí, monitoramento, pega veia e finalmente a anestesia.
Esse é o pior momento de todos, você precisa ficar na posição fetal para receber a peridural, e isso dá um pouco de desconforto na barriga, mas não é dor, é medo mesmo. Mas o anestesista - Dr. Pil, me deixou muito tranquila, foi muito carinhoso e deu tudo certo, logo eu já não sentia as minhas pernas e estava pronta para ter o melhor encontro da minha vida: conhecer o Pedro.
Depois disso, o LC entra na sala, ele estava tão ressabiado e eu perguntava dele o tempo todo.

E começou a cesária, em poucos minutos, senti muita força na minha barriga por conta dos médicos estarem empurrando-a para baixo...nenhuma dor, só forçando mesmo. Daí, veio o melhor momento da minha vida: escutei um choro, um choro lindo, cheio de vida e a Dra. Gisele me mostra ele. Lindo!!! Todo suginho de sangue, placenta.
Eu chorei mutio, de soluçar, só agradecia a Deus, repetia várias vezes: Glória à Deus! Eles colocaram ele um pouquinho em mim dei um beijo e eu nunca vou esquecer do cheiro dele naquele dia. É um instinto bem animal, a gente dá vontade de limpar eles, que nem bicho.

O Pediatra, Dr. Alessandro Lemos, levou o Pedro para os procedimentos e logo a Dra. Gisele volta com ele e coloca nos meus braços e já coloca ele pra mamar em mim. É tudo muito rápido e ele pegou o meu peito e na sala de cirurgia mesmo começou a mamar.
Que sensação maravilhosa, de dar amor, de proteger. Deus cumprindo os planos que Ele havia me prometido: Ser mãe.


Após os procedimentos cirurgicos, que demoram mais tempo que o próprio parto, eles me levaram para o quarto. Eu estava louca para reencontrar o Pedro. No corredor, ainda de maca, encontrei todos me aguardando para cumprimentar, todos enfóricos me dizendo que o Pedro era muito lindo. E eu dizendo que era bom demais ter um filho, que queria ter mais uns três.

Cheguei no quarto já morrendo de saudades dele. Estava cortada, anestesiada, mas sem dor nenhuma, só conseguia pensar no Pedro, na vontade de pegá-lo. E logo ele chegou no quarto, todo bonitinho de roupinha amarela de bolinhas coloridas, lindo demais.

Coloquei ele no colo e comecei a amamentá-lo. Eu não sabia se teria leite, como seria amamentar, mas ele sabia tudo, fez todo trabalho sozinho, achou o meu peito e começou a sugar verozmente.
Muito tranquilinho, depois de mamar ele dormiu...

Os momentos que seguiram deram ínicio a uma linda estória de amor em família, uma nova família que se completava: Luiz Cláudio, Meyriele e Pedro. Juntos para sempre!




"Meu filho amado, eu te amo desde o dia que você era menor que um feijãozinho e esse amor foi crescendo, crescendo e crescendo junto com você dentro de mim. Hoje foi o dia que Deus escolheu para você vir ao mundo, e será sempre inesquecível pra mim. Que Deus te abençoe todos os dias. De agora pra frente estaremos sempre juntos."

Com amor, Mamãe.

Tá na hora do ursinho começar a dar tiau para as fraldas


Olá Meninas!!!
E a terceira vez que toco nesse assunto aqui no blog. Já estou a um tempinho pensando nisso e já iniciei o processo com o Pedro uma vez e ele não estava pronto. Agora, tenho notado mudanças no comportamento dele em relação as fraldas.
Como previa o Dr. Marco - pediatra do Pedro, ele mesmo nos daria sinais quando chegasse a hora. E estou enxergando agora os primeiros sinais que ele tanto falou.
Quando eu comecei com esse assunto aqui no blog eu estava neurótica que já tinha chegado a hora de tirar as fraldas do Pedro e que eu não tinha feita obsolutamente nada para isso acontecer e não esperei o tempo certo.

Comentei isso com o médico dele e ele me deu um sabão de quase meia hora sobre a minha ansiedade para as mudanças de uma fase para outra. Me disse que algumas mães por falta de orientação, acaba gerando traumas nas crianças e atrapalhando alguns processos que são naturais. Acabam não aguardando os sinais de maturidade da criança.

Esses sinais eu já estou percebendo no Pedro. Ele começou a se incomodar muito com a fralda, tirar a roupa quando está molhado e observar com muita curiosidade quando vamos ao banheiro fazer xixi. Sem contar que tem pedido para vestir cuequinha.

Decidi ir aos poucos nesse processo, tentando enfrentar e incentivar cada crescimento dele nessa área, por isso comprei um monte de cuequinhas novas e um tampo de acento bem bonitinho. Estou estimulando, sem pressa, tenho certeza que acontecerá naturalmente.

Da conversa com meu médico extraí alguns conselhos práticos:

O que é normal para idade?
A boa regra é iniciar o processo de retirada das fraldas a partir de 20 meses. Antes disso é perda de tempo. Fisiologicamente, elas quase nunca são capazes de controlar a bexiga antes dessa idade. Portanto, 20 meses é o mínimo, uma idade ideal para iniciar.
A criança por volta dos dois anos já começa a ter controle dos esfíncteres. Ela está saindo, segundo Freud, do período oral (fase em que leva tudo à boca) para entrar na fase anal (período em que descobre as fezes).

Até os 3 anos, cerca de dois terços das crianças consegue manter secas durante o dia, mas é bom lembrar que que isso quer dizer que um terço delas precisará de um tempinho a mais. Aos 4 anos a maioria delas já estará passando dias secos.
Também é bom lembrar que meninos são um pouco mais lentos que as meninas.

Como saber que meu filho está pronto? Perguntas que você deve fazer:
  • Ele está próximo aos 20 meses ou mais?
  • Tem vocabulário sufiente para comunicar seus desejos? Para avisar que as fraldas estão sujas ou molhadas?
  • Estão comendo fibras e bebendo água suficiente?
  • Entendem quando você está feliz ou contrariada com o que fazem?
  • Você consegue deixá-lo animado com a ideia de tirar as fraldas?
  • Está disposta a encarar a tarefa? Se dedicar com paciência ao processo?
  • Está preparada para fazer a tentativa, ver se funciona, parar se as coisas não estiverem indo bem e tentar novamente mais adiante?
  • Você não se incomodará de limpar várias vezes ao dia o xixi no chão, carpetes, sofá, cama, sem se aborrecer? Entendendo que isso fará parte do processo de crescimento.
Se as respostas para essas perguntas, ou maior parte delas, for SIM, é hora de começar a tentar.

Decidido o momento, aqui vão dicas complementares a tudo que você já leu, estudou e pesquisou sobre tirar fraldas:

Passo 1: crie motivação
Uma das coisas mais importante para cresciemento do ser humano, seja em qualquer fase da sua vida, é a motivação. Portanto, uma boa estratégia é envolver a criança em um ambiente que o leva a entender o quanto é legal e importante fazer xixi no vaso ou piniquinho (se essa for sua decisão).
Para começar, compre um lindo adaptar de acento de vaso, decorado com bichinhos, ou se for a sua opção um piniquinnho bem divertido.
Outra coisa é comprar cuequinhas e calcinhas bem coloridas, com bichinhos e bonitinhas e motivá-los a vestir com o exemplo que já estão crescidas igual o papai e a mamãe, que também usam cuecas e calcinhas.
Mais uma dica é criar no banheiro um ambiente divertido, lúdico e que a cada ída no banheiro é uma aventura muito divertida, cheia de estórias e brincadeiras. Assim, de forma lúdica eles aprenderão a gostar dessa novidade. É importante colocar um banquinho bem divertido (e seguro) para que eles alcancem o vaso.

Passo 2: treine o ursinho também - Exemplo.
As crianças aprendem melhor brincando, então tire vantagem disso. A melhor maneira e ensinar seu filho(a) seu filho por meio do ursinho. Vocês dois ensinarão como o ursinho deverá fazer xixi. A criança sentirá comprometida a ajudar o seu amigo fiel nessa etapa e aprenderá pelo o exemplo como deve fazer.

Passo 3: recompensa
É muito importante que a cada conquista, cada vez que ele(a) lembrar de pedir para fazer xixi você recompense com elegios, dizendo que já é grande, inteligente, esperto e que no final do processo, quando tiver atingido o objetivo de desfraldar você o leve para escolher um brinquedo (não precisa ser nada caro, é uma coisa simbólica, que o faça lembrar que fez por merecer). Deixe claro que essa recompensa advém dele ter se superado e crescido, agora que já é um rapazinho ou mocinha, merece um novo brinquedo.

Nesse processo, é muito importante você seguir algumas dicas:
  • Se você e seu filho(a) não estiver pronto não inicie o processo, não há nada de errado com as fraldas.
  • Nem todo mundo está craque a ir no banheiro aos 18 meses como indicam os intrometidos de plantão. Não se preocupe com os conselhos e críticas (principalmente de mais velhos) sobre esse assunto. Respeite o tempo do seu filho(a).
  • Lembre-se que cada criança chega lá no seu tempo, não permita comparações com primos, amiguinhos ou irmãos.
  • Quando decidirem, pratique os 3 passos acima.
  • Ensine a criança a pedir para ir ao banheiro quando sentir vontade. Insista nesta idéia, mas não de forma ameaçadora, e sim como uma parceira do seu desenvolvimento.
  • Comece com muita água e leve a criança várias vezes ao banheiro ao dia. Esse deve ser um momento bem legal ou divertido, lembre-se disso. O ideal é levar ao banheiro pelo menos de 30 em 30 minutos.
  • Recompense o sucesso com atenção positiva e coisas que ele(a) goste de fazer. Associe as coisas boas a essa conquista, uma ída ao parquinho, um pirulito, etc.
  • Não se irrite de forma nenhuma. Não permita que sua frustação passe para a criança.
  • Deixe a limpeza da casa para segundo plano, seu filho(a) é muito, muito mais importante que o carpete da sala.
  • Mesmo que a criança já saiba pedir para ir ao banheiro, é perfeitamente normal, no início, que a criança faça xixi ou cocô nas calças. Portanto, um alerta: esteja preparada para isto, do contrário, se você demonstrar irritação, você só ajudará seu filho a regredir e, no futuro, poderá ter danos sérios em seu comportamento
  • Se você não fica em casa o tempo todo (como é meu caso), instrua quem vai ficar com todas essas ferramentas, converse longamente com essa pessoa sobre isso. Dê a ela as ferramentas que precisa para te ajudar.
  • Se sugirem problemas ou algo que te preocupe oriente-se com o seu pediatra.
  • Quando o processo estiver totalmente finalizado, inicie o desfralde a noite.
Bom, são as coisas básicas que aprendi lendo o livro: Por dentro da cabeça do seu filho - de Nigel Latta, conversando com amigas e trocando idéias com meu pedriatra.
Teoria é uma coisa, vamos a prática.
Assim que eu iniciar o processo conto pra vocês como tem sido. Vou continuar observando o Pedro e se tiver certeza que é hora de começar o processo eu vou incentivá-lo.

beijos, Mey

1 de out de 2010

Um encontro com a emoção, proporcionado pelo Emcantar

Foi maravilhoso o espetáculo do Parangolé.
Ver aqueles olhinhos curiosos do Pedro, a cara dele prestando a atenção a tudo. Ele dava gargalhadas, batia palmas. Foi realmente inesquecível pra nós esse momento. Por vezes vi o Luiz Cláudio emocionado de ver o Pedro tão feliz com os Brincantes.

Mas aquele tempo foi um banho na alma de todos nós que estávamos lá. Um túnel do tempo que nos levou a tudo que é gostoso, nos vez visitar a nossa infância e com ela veio o gosto de algodão doce, fruta tirada do pé, pipoca na porta da escola, a sensação de pé no chão na calça da jogando amarelinha. A lembrança gostosa das brincadeiras de roda, pisque esconde, corre cotia, balança caxão.
Aiii! O quanto era bom ser criança na minha época. A gente tinha que criar tudo, brinquedo não tinha essa abundância. Hoje é meio sem graça, vem tudo pronto da loja e não dá mais para se entregar a inocência das brincadeiras na rua. Tudo ficou muito complicado, tudo é mais perigoso.

Não pode mais brincar na rua, porque é perigoso, as casas não tem aquele quintal enorme, cheio de árvores para subir como antes. Frutas só no supermercado, nada de colher no pé. A vizinha não vende mais "laranjinha" e as Avós estão muito ocupadas para contar uma estória para os seus netos.
Na era da síndrome da pressa não dá mais tempo de colorir um desenho, é melhor e mais rápido  no computador.

Os Brincantes do Emcantar me levaram para o meu tempo, onde era normal, mais simples ser criança. A gente vivia na rua, de pés no chão, conhecia todo mundo da rua e podia confiar nas pessoas.

Foi maravilhoso viver tudo isso e estou muito inspirada a proporcionar para o Pedro uma infância que tenha um gostinho do simples, o gosto de ser só criança.

Para completar a nossa felicidade, tivemos companhias para lá de especial: Carol, Paulo Neto e Paulo Jr. Muito legal! Vocês sabem que a Carol é uma amiga muito querida, um presente de Deus para a minha vida. Foi bom demais ter dado certo a gente se encontrar, ainda mais com nossos pimpolhos e maridos. Noite perfeita!!! Só Deus mesmo para me dar esses presentes.

Pedro, eu, Carol e Paulo Neto no Teatro Rondon Pacheco.
 Depois do espetáculo, fomos no McDonalds, acreditem! Por causa do Paulo Neto o Pedro ficou comportadissímo na hora de comer (vocês sabem que sair com ele para comer é um desafio, já contei aqui em uma postagem). Mas dessa vez foi simplesmente perfeito, comemos todos juntos e foi uma farra.

Valeu amiga por esse tempinho que passamos juntas, temos que fazer isso sempre!!! Adoro vocês!

Carol e eu.

Olha nossos sapequinhas! Estavam brincando de balão.
Foi um custo pegar os dois para a foto. A brinadeira estava muito boa!
Acesse http://falamamae.com/espetaculo-parangole-me-fez-chorar e leia mais sobre esse momento lindo que tivemos na visão da Carol.

30 de set de 2010

Espetáculo Parangolé do grupo EMCANTAR

Olá pessoal!!! Hoje tem espetáculo? Tem sim Senhor!
Quero fazer uma indicação muito divertida para vocês.
É o espetáculo Parangolé do grupo EMCANTAR , patrocinado pelo Instituto Algar.
Acontece hoje em Uberlândia, no Teatro Rondon Pacheco, às 20h.


O espetáculo “Parangolé” tem direção artística de Deferson Melo e transporta para os palcos os elementos estéticos e multimídias do kit Parangolé (canções, filme e livro) em uma apresentação de música, cores, luz, teatro e dança. São treze artistas, os “brincantes”, que dão vida a um painel de jogos e cantigas memoráveis que empolgam e emocionam, ao mesmo tempo que levam pais e filhos a refletir sobre a infância. Com formato diferenciado e inovador, a montagem convida o espectador a uma visita não linear por toda a trajetória artístico-cultural do grupo EMCANTAR, traçando uma poética biografia coreográfica baseada nos sonhos, limites, descobertas, medos e alegrias vividos pelas crianças.
 No palavreado da cultura popular, Parangolé quer dizer “conversa fiada, bagunça, risada”. Nesse clima lúdico dos jogos musicados e das canções de domínio público, o grupo EMCANTAR revive brincadeiras como “Da Abóbora Faz Melão”, “Corre Cutia”, “Tindolelê” e “Escravos de Jô”. As músicas foram gravadas em arranjos de samba, forró, baião, com o uso de violões, acordeom, percussão, coro e até uma bateria de escola de samba (na participação especial do grupo Tabinha).

 

Para quem procura material novo para se inspirar e brincar com seus filhos, sobrinhos e alunos aí vai uma dica bem legal. O Pedro ganhou um kit desse e desde então dançamos, brincamos juntos e ele cantarola um monte de músicas. Na festinha dele ele pediu pra colocar e foi a sensação. É divertido, alegre. Tem emoção, paixão nas músicas e cria um ambiente muito gostoso entre a gente.  

O “Kit Parangolé” é uma caixa multimídia que materializa e compila em diferentes formatos essa coleção de canções e brincadeiras ricas em desafios, criatividade e imaginação. O box especial inclui um DVD com o filme “Parangolé” (no qual as brincadeiras foram roteirizadas e apresentadas de modo pedagógico-artístico); um disco da trilha sonora do filme (19 canções de domínio público e uma música autoral); um CD de playback (suporte para educadores trabalharem as canções); e um livreto educativo (com letras, cifras e textos explicativos sobre “como brincar”). Aqui em Uberlândia, vende na livraria Nobel.

Vale muito a pena conhecer!
bjos, Mey

24 de set de 2010

Como educar uma criança?


Vamos falar sobre educação dos nossos filhos?
Essa semana, conversando com a Gianna, amiga minha e mãe do Pedro de também 2 anos, tocamos no assunto sobre como educar nossos filhos.
Chega uma fase, em especial após os 18 meses que começa a ficar mais evidente os traços de personalidade e os comportamentos. E com isso vem as birras, teimosias, brincadeiras perigosas, briguinhas com colegas e desobediência.

O que fazer?
Até pouco tempo ele era nosso bebê. Agora já está crescendo e chegou a hora de educar.
Na verdade, a educação começa muito antes disso tudo, antes dele andar, falar, ainda quando é bem bebezinho. Mas como?
Não existe receita de bolo.

Cada um criança é única e nós pais vamos ter que entender a linguagem dela para escolher o melhor caminho para educar.
O que existe são estratégias que a gente pode usar para chegar lá. Tenho falado muito com vocês sobre rotina, estabelecer horários programados para alimentação, banhos, brincadeiras e sono, não é mesmo? E é aí que começa a educação, desde o berço.

Desde muito pequenininho vamos ensinando nossos filhos que eles precisam ter limites. Fazemos isso quando eles fazem mainha pra gente pegar e a gente espera um pouco (porque mãe sabe o que é manha), chora sem motivo aparente e conversamos para eles pararem porque não tem motivo, não quer dormir na hora certa e ensinamos a dormir conforme o combinado.
Os erros na educação começam exatamente nessa fase, quando a gente começa a quebrar as rotinas para atender as "demandas" deles. Sei porque também faço isso, o exemplo é o Pedro dormir no meu quarto até hoje.
É totalmente compreensivo que aqueles rostinhos lindos nos encantem e consigam fazer da gente o que querem, mas não se enganem! Aquelas bochechas redondinhas, aqueles sorrisos lindos e aquele cheirinho entorpecedor não é atoa. Eles tem o poder de nos encantar e nos desviar de nossas convicções. Não é de propósito, eles são lindos de natureza. Chega a ser uma defesa natural.

Mas nós pais, temos um dever muito grande na sociedade, preparar filhos saudáveis emocionalmente, concientes de seu papel no mundo, que tenham temperança, domínio próprio e que saibam respeitas as leis e os outros. Não é atoa que muita coisa desordenada tem acontecido hoje. Os pais tem perdido o controle da educação de seus filhos, terceirizando para escolas, babás. Muitos não tem reservado tempo para o seu principal papel: educar.
E isso acontece por uma série de motivos da vida moderna. As mães de hoje trabalham fora, muitas vezes em grandes jornadas, são independentes, muitas são chefes de família, a figura do pai está muito banalizada dentro de casa, muitos pais usam a permisividade para compensar a falta ou o cansaço e os papéis estão totalmente invertidos dentro das famílias. Isso tudo causa uma confusão de valores na cabeça de nossos filhos.
O que temos que saber é que não somos mais ou menos pais por trabalhar fora, por ter grandes jornadas de trabalho, por querer uma vida melhor para nossos filhos. Temos é que nos organizar para dedicar tempo de qualidade para nossos filhos, em especial para educar.
Uma desculpa clara para não educar é: "Deixa pra lá, fico tão longe dele, quando estou em casa não quero ficar brigando". Isso é o mal da educação de hoje, tentar compensar com falta de disciplina a falta. Ninguém deve se sentir culpado por trabalhar. A minha mãe trabalhava 24 horas seguidas dando plantão em hospitais, mas quando chegava em casa ela nunca se privou de dar uma correção na gente, caso precisasse. Pra mim ela era a autoridade, o não dela não tinha volta.
E é isso que temos que seguir, nossa responsabilidade é instrur, educar, entender e encaminhar nossos filhos.

Mas voltamos a pergunta que nos tormenta: como educar nossos filhos?

Algumas regras colaboram no processo da educação infantil:
Educa o seu filho segundo o caminho que é para ele; mesmo quando envelhecer não se desviará dele.” (Provérbios 22:6)


1. Estar dispostos a empregar tempo na educação: sentar junto no chão para brincar e desenvolver raciocínios do que é comportamento bom e ruim dentro das brincadeiras.

2. Manter comunicação constante: as conversas fazem parte fundamental da educação. Olhe para seu filho nos olhos, abaixe na sua altura, fale com ele sobre o que aconteceu, sobre a sua frustação e as consequências se acontecer dinovo. Com um ano e meio eles já começam a entender melhor isso, com 2 anos tem clareza e memória desenvolvida para lembrar do ensinamento.

3. Não atender as birras: é um ciclo vicioso que não tem fim. As birras devem ser comportamentos abominados. As crianças devem entender que não é um comportamento bom e que apenas seus pedidos serão considerados e que as birras são ignoradas e até mesmo punidas.

4. Estabeleça regras: é muito importante que as regras sejam claras na educação, horários bem definidos para as atividades como alimentação, brincadeiras, sono, estudo, etc. Além de direcionamentos claros de comportamentos aceitos ou não, inclusive com as penalidades previamente estabelecidas para cada quebra de regra.  "Há tempo para todas as coisas debaixo do céu. . . tempo para rir . . .  tempo para trabalhar. . . tempo para descansar . . . e tempo para saltitar.”Eclesiastes 3:1, 4.


5. Expor à criança que só será atendida se pedir em tom de voz normal: nunca aceite gritos, ensine-os que nesse tom de voz você não consegue entender o que está sendo falado.

6. Não use o medo como método de educação: evite usar os personagens de televisão, animais ou pessoas para amedrontar ou punir os filhos, faz mais sentido explicar que são os pais ou cuidadores que estão educando porque é melhor para ela.

7. Não voltar atrás no que foi dito: isso vale para qualquer idade, principalmente os mais grandinhos que tendem a querer negociar. A negociação deve acontecer antes da decisão tomada, depois disso o NÃO tem que ser não e o SIM é sim. Lembre-se que o tempo gera o hábito. O hábito gera economia. Aos poucos os nossos filhos vão entendendo as regras.


8. Tempo de qualidade: mesmo que vocês trabalhem e a rotina da familia seja corrida, é necessário oferecer algum tempo diário para se dedicar aos filhos, carinho, brincadeiras, conversas sobre comportamento, tempo para tarefas escolares, etc.

9. Acordo sobre educação entre os pais: evite a contradição entre o que é dito entre vocês. A criança se sente confusa e dividida. Discussões sobre métodos de educação devem acontecer longe da criança, mesmo que não concorde não desaltorize o seu parceiro(a).

10. Seja exemplo: os pais são o modelo a ser seguido, tudo que vocês fazem, a maneira como comem, conversam, falam, relacionam entre si oferecem ensinamentos e podem ter reflexos no comportamento da criança. Pense que tipo de modelo é o seu e como tem influenciado no comportamento de seu filho. A Bíblia diz, em Gálatas 6:7: “O que o homem semear, isso também ceifará.” Se os pais querem que os filhos tenham elevados padrões de moral, eles mesmos devem mostrar primeiro que vivem à altura de tais padrões.

11. Não use da violência: se você é do tipo que defende a "educação a moda antiga" repense seus conceitos. Temos mais inteligência emocional que nossos país. Violência gera violência e não leva a nada. E uma palmada doí sim e muito, principalmente se for dada como válvula de escape para a falta de capacidade de controlar sua íra. Agir racionalmente nessas situações ensina a seu filho a gerenciar conflitos de forma inteligente durante a sua vida toda. Lembro-me do respeito que eu tinha pelo meu Avô, o simples fato dele me olhar já me fazia desconfiar que alguma coisa não estava agradando, e ele nunca me colocou a mão e por não ter sido criada com meu Pai ele era a pessoa que exercia esse controle na minha educação. Me colocava de castigo para pensar no que fiz e eu só saia quando ele mandava.
Não tenho idéia totalmente formada sobre as palmadas, hoje eu não concordo e tento não aplicar lá em casa, mas respeito que cada pai e mãe deve dar a educação que achar certa. Esses dias ele bateu num coleguinha e eu dei um tapinha de leve na bunda dele, em cima da fralda, mas depois eu vi que ele nem percebeu e que o tapinha foi mais pela necessidade de punição moral frente as pessoas que esperavam de mim alguma atitude séria (eu me cobrei isso) do que educativo.
 Acredito que tenho que caminhar mais na minha experiência materna, ainda penso em resolver as questões com o Pedro por meio da conversa, de fazê-lo raciocinar sobre seus atos, mesmo que bem pequeninho eu vejo que ele entende. É claro que posso ter que tomar medidas mais severas, mas sei que em tudo Deus vai me guiar e mostrar o caminho. Só não quero agir pela íra, pela falta de capacidade de olhar nos olhinhos dele e conversar, ensinar-lhe. Nem que isso me custe mil vezes e muito paciência.

12. Cuidados com minos materiais: uma coisa tenho certeza, a educação está condicionada em três pilares principais: incentivo, merecimento e punição. Presentear nossos filhos a todo momento, sem ser fruto de merecimento vai torná-lo um adulto sem entendimento de consumo e satisfação. O ato de dar-lhe tudo que quer, brinquedos sem razão ou data específica causa nele uma sensação de felicidade condicionada. Isso não é legal, porque nossos filhos acostumarão com esse prazer, e vai ter uma hora que nada mais vai ser bastante. Ensine-o que existem datas e atitudes para recompensas e quem a felicidade está em pequenas coisas e muitas delas não se precisa e nem se pode comprar.

13. Fale de Deus para seu filho, ensine-o a palavra de Deus: “Tens de inculcar os mandamentos de Deus a teu filho, e tens de falar [deles] sentado na tua casa e andando pela estrada, e ao deitar-te e ao levantar-te.” — Deuteronômio 6:7. É muito importante que nossos filhos saibam quem é Deus e o que Ele tem feito por nós, que Ele tem sustentado a nossa casa, cuidado da gente, que é um grande Pai e amigo para todas as horas. Isso é independente de religião, embora ter uma religião seja importante para colocar em prática esse conhecimento.


13. Mova-se! Não acredite que o tempo, por si só, dará jeito na situação, que é apenas uma fase e que passa. Não haveria sentido em existir a educação. Muitas fases não vão passar nunca se você não tomar atitudes. Existem muitos adultos dando birras até hoje, sem nenhuma noção de subordinação, de respeito a espaço dos outros, simplemente porque não aprenderam isso no tempo adequado.

Enfim, elenquei esses principais tópicos, mas gostaria muito que vocês completassem, enviando comentários, coisas que não citei, métodos que você considera funcional.
No que você acredita? O que tem feito e tem dado certo na sua casa?
 
com amor, Mey